Fotografia:
A ficção da igualdade!

No “sorteio” do calendário dos jogos da 1.ª Liga é utilizado, desde a temporada de 2009/10, um mecanismo que, inequivocamente, beneficia os clubes chamados “grandes”. Assim, por exemplo, não é possível que equipas como as do FC Porto, do Benfica e do Sporting se encontrem nas primeiras quatro jornadas – ou seja, numa altura em que os seus conjuntos ainda estão em fase de “sedimentação”.

Pedro Álvares de Arruda
2 Ago 2012

Esse mecanismo discriminatório pode ser, como é óbvio, objeto de discussão, permitindo, por isso, opiniões diversas. Assim, alguns adeptos podem manifestar-se favoráveis a tal “discriminação” (que neste caso classificaríamos de positiva…), tendo em conta a supostas vantagens que isso provoca ao nível competitivo; outros adeptos, pelo contrário, podem considerar esse mecanismo totalmente inaceitável, porque discrimina (no pior sentido do termo) os clubes, beneficiando uns em detrimento de outros.
Não faltam, pois, os argumentos em favor da tese dos defensores do “sorteio condicionado”, assim como sobram argumentos àqueles que discordam dos “benefícios” que, neste âmbito, são proporcionados aos ditos clubes “grandes”. Por economia de espaço, não entramos por agora nessa polémica, em que uns e outros apresentam sérios motivos para defenderem as respetivas “damas”.
Mas se existem razões válidas em prol das duas “teses” – já me parece não existirem fundamentos minimamente válidos nos critérios de “escolha” dos clubes que beneficiam dos condicionamentos no sorteio do calendário. Na verdade, considero absurdo que o Sp. Braga esteja afastado dos “benefícios” da calendarização que é proporcionada ao FC Porto, ao Benfica e ao Sporting. Mais que não seja, pelas classificações obtidas nas últimas épocas e, de forma muito particular, nas três mais recentes temporadas – em que se classificou em 2.º, 4.º e 3.º lugar, respetivamente. Ora, um clube que apresenta este “palmarés” recente não pode deixar de ser considerado “grande” (tenha este adjetivo o significado que tiver…) e, por conseguinte, não pode deixar de ser beneficiário das “condicionantes” impostas no sorteio.
Por isso, o agendamento do jogo entre o Benfica e o Sp. Braga logo para a 1.ª jornada de 2012/13 é um total e inaceitável… absurdo – independentemente de os bracarenses poderem ou não vencer na Luz. De facto, se FC Porto e Sporting ficaram “impedidos”, em razão daquelas condicionantes, de defrontarem os “encarnados” nas primeiras quatro jornadas, é incompreensível que o Sp. Braga – que, realcemos, se classificou em 3.º lugar na época passada… – não mereça o mesmo tratamento diferenciador!
É incompreensível! Assim como é incompreensível que em 2009/2010 se tenha estabelecido que um clube “não-grande” fique livre de defrontar dois “grandes” em jornadas consecutivas – e esteja previsto que o Vitória de Guimarães jogue com o Sporting na 1.ª jornada e defronte o FC Porto logo na 2.ª ronda!
Como dizia o outro, somos todos iguais – mas há uns que são mais iguais do que outros!!!




Notícias relacionadas


Scroll Up