Fotografia:
A chave do sucesso

Já uma vez escrevi sobre isto, mas sugeriram-me que o voltasse a fazer. Há uma paráfrase da narrativa da tentação de Eva, relatada no Génesis, que é magistral para se poder compreender onde está a chave do sucesso para convencer alguém. Estava a nossa mãe Eva sossegada, a descansar à sombra de uma árvore do Paraíso, quando a Serpente se aproximou dela e lhe disse:- Olha que maçã tão rosadinha! Come… É da árvore do Bem e do Mal. Se a comeres, vais ficar sábia como Deus.

M. Ribeiro Fernandes
24 Jun 2012

– Não quero. Deus proibiu que comêssemos do fruto dessa árvore.
– Come, que vais ser como os Anjos…
– Que me interessa isso? 
– Se comeres, nunca vais adoecer…
– Não estou preocupada com isso. E deixa-me em paz. Pareces aqueles políticos que nunca se calam e sempre a fazer promessas que depois não cumprem…
– Come, que vais ser a rainha do Paraíso.
– Já disse que não quero. E ponto final.

A Serpente começava a desanimar. Não conseguia convencer a Mulher a comer a maçã. Foi quando lhe surgiu uma ideia que parecia irresistível: e se eu lhe dissesse que vai emagrecer e ficar elegante? Volta-se de novo para ela e diz:
– Olha, come esta maçã que vais emagrecer e ficar elegante…
– Que é que disseste? Emagrecer e ficar mais elegante? Dá cá, que eu vou experimentar. E também levo ao Adão, que já está a ficar com uma barriguinha…
 
1. Se fosse hoje, diria que a Serpente podia ir para a política, que fazia sucesso. Só não sei se seria honesta (mas, isso é uma preocupação que a não iria importunar). Que se importava a Eva de ficar mais sábia ou ser como os Anjos? Ela já vivia feliz. O que ela poderia querer era manter um corpo bonito e elegante. Todas as propostas que a Serpente lhe sugeriu podiam ser interessantes, mas, na altura, não tinham força de motivação suficiente para a seduzir. A sua motivação atual era encontrar algo que a mantivesse elegante e atraente aos olhos dos outros. 
O erro de muita gente é pretender motivar as pessoas com ideias que pouco ou nada lhes dizem. Se não cuidarem de descobrir qual é o ponto sensível da motivação dos ouvintes e continuarem a insistir em ideias que não têm significado pessoal para eles, o resultado é virarem-lhe as costas.

2. Alguns poderão dizer que esta paráfrase é ofensiva para a mulher. Não é. A mulher gosta, por natureza, de ser atraente e sedutora. Faz parte do seu modo de ser. Ela investe todos os dias muito tempo na sua imagem para se sentir bem consigo mesma e para ser admirada e desejada pelos outros. E gostar que os outros a desejem não é perversão. A sua forma de poder é a sedução. É por isso que não passa de uma tontice dizer que, para a mulher casada, basta ser elegante para o marido. Não é por ser casada que ela deixa de ser mulher. Ela continua a precisar de se sentir bem consigo mesma para que a admirem e desejem. E isso não significa qualquer desejo implícito de infidelidade. Significa apenas ser mulher. Desenganem-se as feministas ou os que pretendem impor a igualdade, por lei. Não há igualdade; há apenas complementaridade. E é na adequação a essa complementaridade que se deve investir.

3. E o engraçado nessa dependência de agradar, que a moda tanto explora, é que ela evidencia a capacidade de acolhimento, que na mulher é maior do que no homem. E também a necessidade de reconhecimento, de atenção, de afeto, que, na mulher, é mais sensível. Desta necessidade de dar e receber nasce a necessidade de comunhão na amizade. Quando se diz que a felicidade está escondida dentro de nós, é só meia verdade. Quem a for procurar no cofre íntimo do seu coração arrisca-se a ter uma grande desilusão, porque lá só vai encontrar o eco de satisfação dos desejos de amor já realizados e o apelo da abertura a mais além sempre por realizar.
A chave do sucesso da aceitação de qualquer proposta que mexa com a sua vida está na descoberta prévia dos seus desejos e na forma como lhe é proposta, sem imposição nem paternalismo. Quem não for capaz de perceber isto nunca terá sucesso como líder.




Notícias relacionadas


Scroll Up