Fotografia:
Slogan e manipulação

Nos tempos que correm, o slogan (frase curta e apelativa) é já uma poderosa arma de publicidade e propaganda política. E, então, quando associada à imagem, transforma-se na arte mágica de influenciar e manipular, a que só os espíritos mais doutos e esclarecidos capazes são de resistir.

Dinis Salgado
20 Jun 2012

Assim, diariamente, através dos diversos meios de comunicação social (rádios, televisões, telefones, cartazes, publicidade de rua e caseira), assaltados somos com apelos ao consumo e à satisfação de sonhos e utopias. Não admira, por isso, que, por exemplo, os slogans compre agora e pague depois ou o viaje já e comece apagar daqui a três meses, tenham feito história pelo seu impacto e sucesso publicitários.
Só que, certo e sabido que ninguém dá nada a ninguém, os portugueses mais incautos e irresponsáveis, embarcando nas doces ondas desta publicidade falaciosa, depressa se endividaram, comprando férias, carros, viagens, casas, sonhos sem dinheiro e, apenas, porque lhes oferecem de mão beijada facilidades e mordomias.
Hoje, muitos dos mais graves problemas que nos atormentam nasceram desse mundo cor-de-rosa com que os profissionais da propaganda e da demagogia pintaram o país. Problemas familiares, profissionais, psicológicos e sociais que submergem muitas famílias que, agora, têm de devolver casas e carros às instituições de crédito, retirar os filhos dos colégios e infantários, recorrer à ajuda de familiares ou de instituições de solidariedade social e, mais dramático ainda, de emigrar.
Conheço casais que vivem angústias e dramas diários para acudirem às necessidades primárias dos seus filhos: saúde, alimentação e educação. Porque o desemprego, os cortes nos subsídios, salários e pensões, o aumento constante dos bens de primeira necessidade levam muitas famílias à urgência de estenderem a mão à caridade.
Agora sabemos que a forma de influenciar e manipular um povo é inversamente proporcional ao seu grau de esclarecimento e cultura. Isto é, quanto menos culto e informado é, mais se deixa enganar e manipular. E, aqui, é que o slogan alcança toda a força, objetivos e magia apelativa de que é feito.
O que caso é para praguejarmos:
– Porra, vai cá uma nortada!
Então, até de hoje a oito.   




Notícias relacionadas


Scroll Up