Fotografia:
Obesidade – uma abordagem multidisciplinar

A obesidade é uma doença crónica, caracterizada por uma quantidade excessiva de tecido adiposo – gordura – no organismo, em depósitos subcutâneos e viscerais.

Carlos Gomes
30 Mai 2012

Os principais factores contribuintes para o desenvolvimento da obesidade são a predisposição genética, a própria idade – sabemos que o grau de obesidade aumenta com a idade – o sexo, sendo mais frequente no sexo feminino, os desequilíbrios alimentares, estes muitas vezes associados a problemas de comportamento e emocionais, a inactividade física, factor importante uma vez que interfere no equilíbrio energético.
Determinados medicamentos, doenças endócrinas e lesões neurológicas nomeadamente as que atingem os centros hipotalâmicos, contribuem também para o desenvolvimento da obesidade. Isto torna a obesidade uma doença que tem que se abordar de uma forma multidisciplinar.
A obesidade acarreta múltiplos problemas de saúde se não for corrigida, principalmente quando o Índice de Massa Corporal é superior a 35 kg/m2, surgindo progressivamente problemas cardiovasculares como a hipertensão, complicações metabólicas como a Diabetes tipo II, complicações pulmonares como a apneia do sono, complicações gastrointestinais como a esteatose hepática e a litíase vesicular, alterações genitourinárias como a infertilidade e amnorreia. As alterações osteoarticulares, principalmente degenerativas, são frequentes e incapacitantes, por sua vez aumentando ainda mais a inactividade.
Os obesos mórbidos têm também um aumento da incidência de cancro do cólon, cancro do endométrio, cancro da mama e cancro da próstata.
Não menos importante são as alterações socioeconómicas e psicossociais em que se salienta a discriminação educativa, laboral e social, o isolamento, a depressão e a perda de auto-
-estima.
O Hospital Privado de Braga (HPB) não indiferente a toda esta problemática, possui um Centro de Tratamento da Obesidade, com uma equipa multidisciplinar para abordagem diagnóstica e terapêutica da obesidade.
As especialidades nucleares do Centro de Tratamento da Obesidade do HPB são Endocrinologia, Nutrição, Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica, Gastrenterologia, Psiquiatria, Pedopsiquiatria, Psicologia, Pediatria e Fisiatria.
A Organização Nacional de Saúde reconhece que a obesidade tem, actualmente, uma prevalência igual ou superior à da desnutrição e das doenças infecciosas, estimando que, se nada for feito para prevenir e tratar esta epidemia, mais de 50% da população mundial será obesa no ano de 2025.
Em Portugal, em 2004, a prevalência da Obesidade era, segundos dados da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade (SPEO), de 14,5% nos homens e 14,6% nas mulheres, e da pré-obesidade de 44,1% nos homens e 31,9% nas mulheres, significando assim que mais de metade da população portuguesa apresenta sobrecarga ponderal. Esta doença é a segunda causa de morte passível de prevenção, depois do tabagismo. Acarreta custos económicos elevados, representando 2,7% dos custos totais de saúde, estimando-se que em Portugal seja responsável por cerca de 3,5% dos custos de saúde.
Assim, pela sua elevada prevalência, pela morbilidade e mortalidade associadas, pelo impacto negativo na qualidade de vida e pelos elevados custos associados, a obesidade constitui um importante problema de saúde pública, em todo o mundo, e de forma mais premente nos países desenvolvidos.




Notícias relacionadas


Scroll Up