Fotografia:
Outro ponto de vista…

Que o sentido da mensagem do Papa, de sofrimento com sentido, da própria mensagem deste tempo de Páscoa, nos interpele…

N/D
25 Mar 2005

O tempo da Páscoa é sempre um tempo que nos convida ao recolhimento, à meditação e reflexão e, nem de propósito, a mensagem de um Papa que sofre, mas que nos transmite, ao mesmo tempo, uma imagem de profunda serenidade, leva-nos a acreditar num mundo melhor que tem de vir, mas que tem de ser construído numa caminhada permanente…
A impressão que guardo do Santo Padre é a de alguém profundamente humano, um conhecedor do sofrimento que tantos provocam a tantos outros, um lutador por um mundo cada vez melhor.

Não se percebe nunca na sua mensagem outra coisa que não seja um profundo optimismo na capacidade que o Homem tem de fazer melhor.

Este é o tempo da Páscoa, de passagem, de compreensão do sentido que tem a dor.

A vida é permanente construção, não é uma coisa sem sentido como nos propagandeiam todos os dias. Tem dificuldades, que são superadas, no caminho aparecem-nos escolhos que são removidos. A vida tem sentido!

Não o sentido do facilitismo, do permanentemente bom e aparentemente belo que alguns nos pretendem incutir.

Os problemas que quotidianamente vivenciamos são resolúveis à luz de uma nova forma de ver e iluminar as coisas.

A adversidade de um mundo cada vez mais, aparentemente, competitivo e desumano tem solução. O caminho passa pela humanização das coisas do mundo, este tem de ser o sentido a tomar.

As soluções que nos pretendem oferecer, o caminho do mais simples e fácil podem ser tentadores, mas não resolvem coisa nenhuma.

O exemplo desta visão materialista e desumana pode ser encontrado no afã de alguns com a apresentação de uma proposta de liberalização da interrupção voluntária da gravidez. Este não deve ser o caminho.

O caminho a percorrer está em encontrarmos as razões que levam alguns, com muito sofrimento, a enveredar por uma solução que de forma aparente é a mais simples.

A vida não pode nunca ser um instrumento, um meio, é fim em si mesmo.

Que o sentido da mensagem do Papa, de sofrimento com sentido, da própria mensagem deste tempo de Páscoa, nos interpele…




Notícias relacionadas


Scroll Up