Fotografia:
Ortografia polémica

Já chegou à televisão um caso de opiniões contraditórias acerca da ortografia do nome da freguesia de Valdozende/Valdosende.

N/D
3 Mar 2005

A tradição é Valdozende mas agora escreve-se Valdosende. Assim como Balazar/Balasar e muitas outras. Não sei se a moda já chegou a Azóia, Azambuja, Azurara, Oliveira de Azeméis, etc., etc.
Um douto senhor justificou a nova ortografia dizendo que o S entre vogais vale Z. Fraco argumento. Por esse caminho, será que vamos escrever com S os verbos: dizer, fazer, realizar, e centenas de palavras como: azar, azia, azeite, azevinho, azul, beleza, riqueza, cozinha, mazela, prazer…

Mais lógico parece que se escrevessem com Z palavras como: transacto, trânsito, transeunte, transacção, transição, transigência, etc., etc.

Esses doutos senhores, a meu ver, só têm estragado a língua portuguesa. Baniram o trema e quase todos os acentos gráficos. Por sua culpa anda todo o mundo a dizer: paisagem, saudade… E alguns até dizem arguido.

Espanhóis, Franceses, Alemães, etc., não dispensam o trema e, em francês, há palavras com três e até quatro acentos, como: éxagéré, dégénéré.

Porquê então tanta sanha contra os acentos gráficos no português, e mudanças inúteis na ortografia? Ingleses e Franceses não eliminam uma quantidade de consoantes inúteis e ninguém se preocupa com isso.

Agora até os mais pintados dizem pregar pregos e pregar ideias, da mesma forma, com e mudo. É uma confusão geral…




Notícias relacionadas


Scroll Up