Fotografia:
Tudo passa, tudo é ilusão

Se um homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, deve pensar nos dias escuros que são numerosos: tudo o que acontece é ilusão. Jovem, regozija-te na tua mocidade e alegra o teu coração na flor dos teus anos.

N/D
7 Fev 2005

Segue os impulsos do teu coração e o que agradar aos teus olhos, mas sabe que, de tudo isso, Deus te pedirá contas. Lança fora do teu coração a tristeza, poupa o sofrimento ao teu corpo: também a meninice e a juventude são ilusão» (Eclesiastes 11, 8-10).
Nestes dias, assisti a um documentário na televisão, nos canais por cabo, pois nos canais livres, à excepção da 2:, quase nunca vemos nada de interessante, sobre o sofrimento de muitos jovens actuais, dos países desenvolvidos, por causa da cultura “metrossexual” que vigora.

Aprendi este termo “metrossexual” como sendo para classificar os homens (e mulheres) citadinos que se preocupam com a sua imagem e com o estilo que imprimem, frequentando ginásios e esteticistas para melhorar, ou melhor, minorar os efeitos do envelhecimento.

Nesse documentário vi como muitos jovens sofrem de problemas físicos e emocionais devido a cirurgias plásticas, para aumentar os seios, diminuir as ancas, e por aí adiante. Fiquei horrorizado ao ver como a ida a um cabeleireiro, para fazer umas simples madeixas, pode criar uma impensável reacção alérgica às tintas e quase provocar a morte.

Nos nossos dias, a televisão e as revistas da “sociedade” passam a imagem de corpos esculturais, quase perfeitas estátuas da cultura greco-latina, com os músculos bem delineados e desenvolvidos. As mulheres têm de ser magríssimas, altas e esguias, como “barbies”.

Depois de reflectir sobre estas questões, lembrei-me do texto do Eclesiastes, um grande livro sapiencial, que fala da mocidade, ou melhor, da juventude, o qual citei em cima.

Este livro, fruto de uma vida concreta, continua muito actual, pois a sua mensagem central é que tudo passa, tudo é uma ilusão, tudo é vaidade. É dele que se retirou a máxima «vaidade das vaidades, tudo é vaidade».

Na verdade, se todas as pessoas que sofrem com ansiedade por adquirirem um «bom aspecto» dos moldes actuais, não o de ser saudável e bem constituído, lessem este livro, certamente veriam o mundo com outros olhos.




Notícias relacionadas


Scroll Up