Fotografia:
2005, aqui estamos!

Chegámos! Quantos de nós nunca pensaram ser possível! Para outros tantos, para muitos mais ainda, 2005 era o futuro a atingir um dia.

N/D
2 Jan 2005

Já tinham projectos, não só sonhos, mas projectos palpáveis, prontos a realizar. No entanto, tudo deixaram pelo caminho.

Alguns partiram meninos levando na bagagem um leve passado e um presente risonho, feliz, carregado de não-te-rales, apenas um presente vivido, sem sonhos, que o tempo não deixou.

Outros, também meninos, mas de bagagem pesada de ofensas, maus tratos de toda a espécie, desamor. Ausência de sonhos. E, lá no fundo do seu pequenino ser, um desejo indelével de um mundo diferente daquele que lhes deram.

Não conheciam que diferença, mas desejavam-na, se tinham idade para isso. Louvado sejais, Senhor, pela satisfação que lhes destes ao tomá-los para Ti.

Muitos, já jovens, cheios de vida e beleza, com futuros promissores em que nunca pensaram, já que o importante era o dia de hoje, o aproveitar e experimentar tudo que a vida lhes expunha sem preocupação de separar as águas. Viver indiscriminadamente até à exaustão.

E ficaram-se pelo presente, um presente já saturado de vida, de emoção, de prazer, um presente gasto porque totalmente explorado, experimentado, sugado até ao tutano. Jovens e belos, partiram velhos.

Depois, todos os outros de vida vivida. Toda uma vida mais ou menos longa, mas tecida lentamente, ano após ano, de trabalho e lazer, de amor, carinho, ternura, à mistura com mil angústias e desilusões, lágrimas partilhadas uma vida, enfim, repleta do tudo que a vida é.

Viveram-na e na bagagem, leve ou pesada, levam todo o seu passado. Nascido a tantos de tal, falecido agora. Uma vida inteira. A sua vida. Para a frente, a eternidade. Para trás só a saudade, o vazio que jamais se preencherá, no coração dos que ficaram. É assim a vida. A vida de cada um.

E nós cá estamos para falar de tudo isto, para viver tudo isto e o mais que Deus nos queira dar ou que nós, por nossa sabedoria, formos capazes de construir. Isso mesmo. Construir. Não há idade para sonhos e projectos para realizações.

Então, olá 2005! Bem-vindo sejas! Vamos viver-te devagarinho, com prudência, sem sobressaltos. Vamos viver-te sem nos afastarmos do caminho que há muito traçámos, tragas tu o que trouxeres.

E vamos tentar, ser felizes, dando-nos aos outros.

Olá, também, todos vós que connosco aqui chegastes. Vivei bem. Sêde felizes e espalhai felicidade.

São os nossos sinceros votos.




Notícias relacionadas


Scroll Up