Fotografia:
Jesus fora do Natal

Todos os anos somos surpreendidos (ou nem por isso) por histórias natalícias que dão conta de uma alface a tomar o lugar de Jesus no presépio, da corrida às compras, das árvores gigantes e iluminações deslumbrantes, dos brinquedos e da Leopoldina.

N/D
19 Dez 2004

Aos poucos, o pinheiro e o Pai Natal foram ganhando o lugar de maior destaque nesta quadra e Jesus foi sendo empurrado para fora do Natal, sem que isso pareça constituir um drama para muito boa gente.
Apesar deste estado de coisas, que nos fomos habituando a ver, causou algum espanto que uma escola do Norte da Itália tenha querido retirar a palavra “Jesus” de uma canção de Natal para não ferir as susceptibilidades dos alunos de outras religiões.

Isso mesmo: Jesus fora do Natal, e já! Fique a saber, contudo, que os pais dos meninos conseguiram repor a normalidade e vão todos cantar ao menino Jesus, sem que isso cause transtorno aos pais dos não-cristãos…

Ainda mal repostos deste pequeno choque, ficamos a saber que na Inglaterra, para o lugar do Casto José e da Virgem Maria, num presépio, foram escolhidos David Beckham e a sua mulher, Victoria Adams.

Passando por cima do erro de casting, o importante, como já deve ter notado, é colocar Jesus fora do Natal, porque não vende.

Afinal, a espera litúrgica do Advento não faz sentido e a Igreja tem mesmo de entrar em choque com a cultura dominante, que se aproveita do espírito de Natal desde bem (e cada vez mais) cedo.

A vaga memória de que esta, um dia, foi uma festa religiosa – a celebração do nascimento de Jesus – vai desaparecendo em favor da noção da festa social, das tradições culturais e dos sentimentos mais ou menos quentes que a quadra suscita. Vale a pena reflectir…




Notícias relacionadas


Scroll Up