Fotografia:
Não há por aí um “endireita”?…

O temporal que se fez sentir há semanas cá por estas bandas provocou uma série de “abanões”. As árvores, como já aqui foi dito e redito, foram as mais sacrificadas. Mas, como é claramente visto neste “boneco”, elas não foram as únicas a dar de frosques e a estatelar-se no solo…

N/D
6 Dez 2004

Uma das “vítimas” foi a vedação que vossas mercês vêem na foto. Começou por inclinar o toutiço, depois fez uma vénia digna de um membro do jet-oito (o jet-set anda ocupado noutras “quintas!…), posteriormente a rapaziada que por ali passa deu uma “ajudinha” com os tacões… até que ficou no bonito estado que agora se constata!
Não viria mal ao mundo se este quadro surrealista não estivesse exposto numa das artérias mais conhecidas e mais movimentadas da cidade – a Rua de S. Vítor -, proporcionando, diariamente, a milhares de pessoas que por ali transitam (à pata-chão ou de popó) um “espectáculo” de fazer revirar o olho! Além disso, como por aquela rua andam sempre muitas crianças (que, como se sabe, não medem a dimensão dos perigos), uma ou outra não resiste à tentação de se armar em herói de filme, pendurando-se num “poleiro” que pode ser fatal…

Perante isto, aqui fica o alerta aos Senhores Mandantes. Ou custará muito endireitar os costados àquela “coisa”, de maneira que a vista não fique enjoada e as crianças não corram riscos desnecessários? Ai custa muito? Se custa, então mande-se vir um endireita dos “antigos”. Até ele há-de exclamar: que… boa vai ela!!!




Notícias relacionadas


Scroll Up