Fotografia:
Nótulas soltas da minha agenda

No Minho, por que não louvar a santa Mãe de Deus com cavaquinhos, violas braguesasou concertina? Mas na Eucaristia… necessita-se de outro ambiente sério (que não triste!), propicio à meditação e ao louvor

N/D
15 Nov 2004

1 De vez em quando, a comunicação social faz-se eco de alguns problemas relacionados com música em igrejas. Há muito tempo que estão definidas as normas para que concertos possam ter lugar em templos católicos abertos ao culto. O Cardeal Patriarca veio recordá-las (cf. Diário do Minho, 04/11/09).

Sobretudo veio lembrar que: (a Igreja) está consciente que momentos de grande nível e qualidade artísticos podem ser ocasião de anúncio de Deus e da sua beleza.” Que dizer, porém, da má (às vezes péssima) música que nos é imposta nas igrejas em actos de culto? O do espírito e ambiente de concerto de “hard rock” nas chamadas “Missas para jovens”? Obviamente que o “Rap”, o “Rock” ou “Jazz” podem anunciar a Fé.

Mas, a sua associação a ambientes pouco “religiosos e a conotação deste tipo de música com comportamentos, às vezes, pouco humanos e cristãos não será, também de moderar nas igrejas (não tenho a coragem de escrever: eliminar!) sobretudo na celebração da Eucaristia? Pessoalmente, e admito estar errado, não vejo inconveniente que todos os géneros musicais e todos os instrumentos possam “animar” reuniões formais ou informais de reflexão cristã.

Num grupo de jovens por que não anunciar Jesus em toda a Sua verdade e exigência utilizando o “Rap”? No Minho, por que não louvar a santa Mãe de Deus com Cavaquinhos, Violas braguesas ou Concertina? Mas na Eucaristia… necessita-se de outro ambiente sério (que não triste!), propicio à meditação e ao louvor.

2. Vamos, brevemente, referendar a “Constituição Eu-ropeia”. Quem a leu e a conseguiu entender, entre centenas de artigos e de anexos? Quem se tem proposto apresentá-la sem a defender ou atacar, simplesmente dando-a a conhecer? O voto só é verdadeiramente livre quando o votante está esclarecido. Os profissionais da política estarão mesmo interessados em esclarecer os cidadãos ou pretendem, tão somente, que estes votem de “olhos fechados”?

3. É espantoso! As Associações Familiares Católicas de França estão a preparar a Celebração do seu… 1.º centenário! Propõem-se promover em 2005 um ano de diálogo com a sociedade civil e com a comunidade científica. E vão começar, em Dezembro, por “olhar” o casamento com lucidez um congresso que reúne especialistas na área.

Um século de associativismo familiar é espantoso! Como, também nesta área, estamos a “léguas”!

4. Outro dia dei comigo a pensar que o consumismo desenfreado que se vive hoje só pode ser combatido pela liberdade de consumir, no que este tem de calma, informação e objectividade na escolha de prioridades.




Notícias relacionadas


Scroll Up