Fotografia:
Homenagem a Manuel Faria

Penso que foi no decorrer da semana iniciada em 5 do corrente que li num jornal nortenho de grande tiragem a notícia de que a Câmara de Coimbra queria, finalmente, levar a efeito a representação e audição de uma composição do ilustre Artista que foi o Exmo. Sr. Cón. Dr. Manuel Ferreira de Faria, autor também de célebres obras como “Suite minhota” ou “Jacob e o Anjo”. A composição (obra cénica e penso que festiva) intitula-se “Auto de Coimbra” e desde 1964 que permanecia em “stand by”, dadas talvez várias contingências que rodeavam a possibilidade de levar aos palcos obras dessa natureza.

N/D
2 Out 2004

A razão porque evoco estes dados é que tenho pena que na cidade de Braga não lhe seja feita, senão através de uma escala mais reduzida, a homenagem que tão ilustre Artista merecia, a não ser umas duas recentes realizações com esse intuito. Ainda não chega e as contingências adversas à sua realização ou foram evidentes ou foram já devidamente acentuadas por quem melhor do que nós sabe analisar estas coisas.
Termino recordando com saudade um concerto com obras do Cón. Dr. Manuel Faria levado a efeito no existente cinema Trindade (do Porto), realizado em Maio de 1966 no cinquentenário do nascimento deste ilustre compositor e que contou com uma prestimosa colaboração do também ilustre compositor Frederico de Freitas e a orquestra Sinfónica do Conservatório de Música daquela cidade! Era estudante e como estudante assisti a essa memorável jornada. Que tenha continuidade a obra legada à sociedade civil por Manuel Faria compositor tanto minhoto como universal!

PS: Também por alturas em que os jornais noticiavam a consagração de Agustina Bessa Luís numa viagem de governantes portugueses ao Brasil e era atribuída uma Medalha de Ouro ao cineasta Manoel de Oliveira (ver JN, de 10-IX-2004) mais se justificava a dinamização da obra de um compositor tão versátil e habilitado como o aqui consagrado artista minhoto.




Notícias relacionadas


Scroll Up