Fotografia:
Ostracismo à figura do Dr. Gonçalo Sampaio?

Há já cerca de doze ou treze anos, num passeio que eu e os meus familiares fizemos a Braga, fomos mostrar à minha nora, cujo casamento com meu filho era ainda recente, o monumento de homenagem a meu avô materno, Prof. Gonçalo Sampaio.

N/D
22 Set 2004

Desse monumento, que existia no parque de São João da Ponte, perto de uma porta lateral de acesso ao estádio de futebol, apenas restava o plinto com as letras alusivas ao homenageado, umas desaparecidas, outras viradas para baixo por se terem desprendido dos parafusos; a cabeça de bronze havia desaparecido!

Ficamos todos consternados com o que, presumimos, tenha sido um acto de vandalismo. Mas, para além da consternação, ficamos também surpresos por não termos tido notícia através da imprensa, que em casos destes costuma dar a conhecer amplamente acontecimentos semelhantes.

Não deixa de ser curioso que as entidades que deveriam interessar-se pelo assunto, nada tenham feito para repor o monumento tal como estava, pois o molde de bronze deve existir! E tanto se fala de cultura! Acresce que a obra de arte era da autoria do famoso cientista e também grande escultor Abel Salazar.

A propósito do estranho silêncio sobre a figura do Prof. Gonçalo Sampaio, tenho notado que os jornais em notícias alusivas ao que antigamente se denominava Instituto de Botânica Dr. Gonçalo Sampaio, se referem agora ao “Departamento de Botânica da Universidade do Porto”.

Não sei o que se passa, mas não deixa de ser curioso; o que haveria por detrás de tal ostracismo?

Como já há muitos anos não vou a Braga, não sei se, entretanto, o monumento teria sido reposto, mas penso que não.

Dr. Gonçalo António da Silva Ferreira Sampaio, botânico notável, professor catedrático, musicólogo e folclorista, nasceu na freguesia de São Gens de Calvos, do concelho da Póvoa de Lanhoso, em 29 de Março de 1865. Foi professor ilustre da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, desde 1912 até 1935.




Notícias relacionadas


Scroll Up