Fotografia:
Educar -A arte por excelência (6)

A complexidade da acção educativa exige ao educador não só uma sólida consciência de responsabilidade, mas também competência, dedicação, boa vontade e vocação.

N/D
23 Ago 2004

Pio XII, numa alocução para professores, afirmou:
“A obra da educação é dura e difícil. Exige mesmo conhecimentos especiais e habilidade pedagógica. Exige estudo, exercícios práticos, uma laboriosa formação e um inteiro domínio próprio. A criança e o adolescente são uma esperança absoluta de promessas para a família, para a pátria, para a sociedade humana e para a Igreja.”

A criança será aquilo que os educadores a ajudarem a ser.

Com efeito, o ser humano vai formando a sua personalidade ao longo da sua existência, recebendo um forte contributo do elemento cultural e social que o rodeia.

Neste processo transformador, o indivíduo é moldado pela acção formativa dos vários educadores que vai encontrando, sobretudo durante a infância e a adolescência.

Daí, a formação ter um papel crucial no desenvolvimento da personalidade do educando.

A concepção culturista defende que a personalidade surge da conjunção do subjectivo (individual) com os valores objectivos (cultura) e que o que personaliza o indivíduo é a “formação”.

Assim, neste processo de “personagénesis”, a função da formação consiste em transformar o indivíduo em verdadeira pessoa.

O étimo “formação”, em grego plásma, em latim formatio e em alemão bildung, encerra em si o significado de configuração. Na linguagem pedagógica, o vocábulo reflecte a ideia de formabilidade, isto é, a disposição do indivíduo para adquirir “alguma característica”.

Na sua raíz etimológica significa, em geral, a configuração de uma matéria segundo uma forma pré-existente ou uma imagem, e, em especial, o desenvolvimento que, de dentro para fora, se realiza no ser orgânico a partir de uma situação indeterminada até uma forma perfeita.

Corresponde, pois, ao conceito aristotélico de entelequia. Segundo este, um Homem formado será aquele que representa o tipo ou a essência do Homem no seu total e puro desenvolvimento.

O “formado” é um Homem no qual, através da educação e do ensino, a capacidade humana se desenvolveu até uma forma individual que representa pura e completamente a essência humano-espiritual.




Notícias relacionadas


Scroll Up