Fotografia:
Participação

A democracia deve encarnar e promover a liberdade, a verdade, a justiça e os autênticos valores culturais e religiosos do povo

N/D
16 Ago 2004

No sistema democrático, o voto é a maneira de o cidadão exercer o direito e o dever cívico de escolher, com liberdade e responsabilidade, os governantes.
O homem é um animal político (Aristóteles). É um ser social. Por isso, deve participar da vida da pólis. Como cidadão, deve interessar-se por tudo o que se refere à vida da comunidade e colaborar para o bem-estar de todos (Tomás de Aquino).

A Igreja nutre preferência pela democracia. João Paulo II, na Encíclica Centesimus Annus (n.º 46), diz que a Igreja vê a democracia de maneira positiva «na medida em que assegura a participação dos cidadãos nas opções políticas e garante aos governados a possibilidade quer de escolher e controlar os próprios governantes, quer de os substituir pacificamente, quando tal se tornar oportuno; ela não pode, portanto, favorecer a formação de grupos restritos de dirigentes, que usurpam o poder do Estado em favor dos seus interesses particulares ou dos objectivos ideológicos».

Mahatma Ghandi dizia que são suficientes poucas coisas para arruinar e destruir uma nação e, entre elas, citava a política sem princípios, o prazer sem consciência, a riqueza sem trabalho, o conhecimento sem qualidade e o convívio sem moralidade.

A democracia deve encarnar e promover a liberdade, a verdade, a justiça e os autênticos valores culturais e religiosos do povo. Se não o faz, transforma-se rapidamente em anarquia ou ditadura, abertas ou disfarçadas.




Notícias relacionadas


Scroll Up