Fotografia:
Esta semana é assim

Em vez de terra nos passeios, temos areia. Solta, muito boa para quedas. Uma visita ao local mostrará que continua tudo igual. E a Relações Públicas da Agere refere a nossa sorte em a Câmara detectar o problema e o resolver! Mal dos nossos pecados se a Agere fizesse o que faz na maioria das vezes: esquecer-se, ignorar os contribuintes e munícipes da cidade e deixar ficar tudo como está. Ainda bem que temos a Agere! Vivas à Agere!

N/D
15 Ago 2004

Só é pena que agora as pessoas tenham de fazer equilibrismo antes de entrar em casa. E estarem sujeitas a que o carro não entre na garagem e fique retido nas melhorias que fizeram nos passeios da Quinta da Capela.
Mais uma vez, reafirmo. Era bom viver em Braga.

PS: A semana passada era assim:

«É bom viver em Braga»! Assim assinalavam há uns tempos uns cartazes colocados nas zonas de maior tráfego de automóveis e peões desta cidade.
A Câmara Municipal orgulha-se disso e mostra o estádio como obra de orgulho da presidência. A obra-marco.

Mas desengane-se quem pensa isso. Mesmo no centro de Braga podemos ver o (mau) tratamento que a Câmara tem para com os munícipes. Na Rua Coronel Albino Rodrigues e na Rua Almeida Garrett (na Quinta da Capela) as obras para troca de canalizações por parte da Agere já duram há mais de um mês.

Abriram-se as valas para instalar a canalização em dois dias. A canalização foi colocada há duas semanas e a repavimentação da zona e o arranjo dos passeios espera há já três semanas. Sem qualquer tipo de comunicação aos munícipes. No local, nem sequer se anuncia o prazo para terminar a obra.

Enquanto isso, convive-se com o pó, os buracos na rua, os carros mal estacionados (por não haver outro local onde os estacionar) e a probabilidade de ocorrerem acidentes. E isto apenas no que respeita aos buracos na estrada. Exclui-se aqui a dificuldade em deslocação por parte das pessoas nos passeios (não pode haver cruzamento de pessoas) e a dificuldade enfrentada por munícipes com mobilidade reduzida.

Envia-se um e-mail à Agere a pedir explicações e do lado de lá apenas chegam silêncios.

O que esperar, então, da Câmara e dos serviços da mesma? Nada. Nada de explicações, nada de respeito e nada de obras em tempo certo. Braga no seu expoente máximo.




Notícias relacionadas


Scroll Up