Fotografia:
Remendos no Parque

O Parque nacional da Peneda-Gerês é o mais importante parque natural de Portugal constituído por uma flora autóctone única no país, considerada património biogenético.

N/D
10 Ago 2004

Como tal deve ser preservada e guardada sem cessar, num Portugal que todos os verões arde de uma forma pouco clara…

Mas o pior inimigo das matas geresianas não têm sido os fogos, mas sim uma gerência dos recursos naturais, duvidosa nos seus objectivos ou mesmo pouco inteligente. As imagens anexadas neste e-mail foram tiradas em pleno parque Nacional da Peneda-Gerês e demonstram-no. São apenas dois exemplos entre centenas espalhados pela serra.

Não são estaleiros de obras. Nem é o resultado de um ataque bombista. O que se passa é que para manter relativamente transitável um caminho de terra batida que liga a Pedra Bela à Cascata do Arado, alguém muito inteligente se lembrou de retirar terras da berma para tapar os buracos do dito caminho.

Ou seja: retiram a terra da berma do caminho, abrindo buracos enormes (como se pode ver nas imagens). Com essa terra tapam os buracos do caminho, que nas primeiras chuvas volta a ficar esburacado. E o ciclo continua todos os anos. E não estou a falar de meia dúzia de punhados de terra, mas sim de toneladas.

É de citar que o caminho em causa é utilizado na época de Verão por centenas de turistas nos seus respectivos automóveis, que se arriscam nos próximos anos a ver apenas uma paisagem arenosa e desolada.

É sabido que o parque natural passa por um aperto financeiro; mas o bom senso deve imperar acima de tudo. Se não podem manter o caminho que o fechem ao trânsito.

Quem quiser visitar a cascata vai a pé; é assim que se faz nos parques naturais.

Tomemos a nossa vizinha Espanha como exemplo onde há locais onde nem os guardas florestais têm autorização para entrar com os automóveis.

Se a isto juntarmos os piqueniques e todo o lixo resultante dos mesmos em zonas expressamente proibidas e o intenso tráfego automóvel em zonas de risco para o parque, por mais quanto tempo teremos um parque natural?… Ah! E claro que não pode ser esquecido o avanço dos eucaliptos e das mimosas pela serra adentro que degradam até à extinção a vegetação autóctone. Aqui não venham dizer que o parque não tem meios financeiros para pagar a alguém com uma moto-serra que impeça tal avanço. Eu própria me ofereço.

Este é mais um exemplo de Portugal no seu melhor. Já alguma vez reflectiram no nome Parque Nacional da Peneda-Gerês, um parque nacional é um parque da nação, um parque para a nação, um parque de todos os portugueses?




Notícias relacionadas


Scroll Up