Fotografia:
Educar -A arte por excelência (2)

A pedagogia não tem apenas”objectivos” mas também valores a propor, dado que o seu objecto é “sujeito”, o educando

N/D
6 Ago 2004

Além das vertentes referidas, a pedagogia tem ainda implícita ou subjacente uma filosofia. Com efeito, a pedagogia não tem apenas “objectivos” mas também valores a propor, dado que o seu objecto é “sujeito”, o educando. Todo o pedagogo tem o seu sistema de valores (axiologia) e os seus fins em vista (teleologia). Não há teoria nem prática educativa “neutral”.
Com efeito, a filosofia da educação funciona como elemento aglutinador do edifício pedagógico, tentando responder a questões como: O que é a educação? É possível educar? Porquê educar? Educar a quem? Que é o homem? Qual o seu fim?

A pedagogia não pode afastar o problema das finalidades, sob pena de não ser possível educar. Consciente ou inconscientemente, todas as doutrinas pedagógicas traduzem uma concepção da existência humana e do fim último do homem. As maiores lutas pedagógicas não se travam em torno dos métodos, mas dos objectivos e finalidades.

A pedagogia reflecte a maneira de pensar do educador sobre o mundo e sobre o homem. Quando uma geração não tem fins a apontar (ou estão totalmente pervertidos), entra em crise e perde o direito a educar. É, infelizmente, o que se verifica nos tempos actuais em muitas sociedades. Tem havido muitos responsáveis (mesmo do ME) que, impregnados e impulsionados pelo seu agnosticismo materialista, inaxiológico-amoralista, professando um aconfessionismo radical, alardeiam os não-valores.

Estamos a entrar numa geração que Avantini denomina de “dinâmica ansiogénia”, isto é, sem os fins e os valores humanos universais, sem os quais as outras “finalidades são impossíveis de encontrar”.

No que concerne ao vocábulo “educação”, recordamos que na sua raiz etimológica latina está a ideia de chefe, guia (dux), donde deriva o verbo ducere (conduzir, guiar) e os compostos educere (elevar, tirar, dar à luz) e educare (criar, alimentar e, posteriormente, também educar).

Assim sendo, em educere prevalece o sentido de auto-educação (movimento de dentro para fora) e em educare o de hetero-educação (de fora para dentro).

De qualquer forma, “educação”, em latim, etimologicamente, é sinónimo de “pedagogia” que, em grego, significa “condução da criança”. Como se sabe, na Grécia antiga, o pedagogo era o escravo que acompanhava a criança à escola, enquanto que, nos romanos, era a deusa Éduca que a ajudava nos seus primeiros passos.




Notícias relacionadas


Scroll Up