Fotografia:
Educar – a arte por excelência (1)

A pedagogia é ainda uma arte

N/D
3 Ago 2004

As dificuldades e as enfraxias encontradas na acção educativa, na sociedade hodierna, são cada vez mais numerosas, encruadas e ancilosas.
A crise do ensino transformou-se num fenómeno generalizado em muitos países, nomeadamente nos mais evoluídos. A obsessão igualitarista levou o sistema educativo a um beco trágico sem saída.

Perante este cenário angustiante, intenta-se, por todos os meios, descortinar soluções e terapias para este problema crucial, abordando-o não só através dos métodos próprios das disciplinas existentes (psicologia, sociologia, linguística, filosofia da educação e pedagogia), mas ainda por meio de outras investigações novas, ainda mal definidas, mas que se pressente que poderão, em breve, ser úteis à criança no seu desenvolvimento, a fim de, com o contributo de todas, se encontrar a dinâmica da acção educativa mais adequada a cada contexto.

No cerne das preocupações destes especialistas insere-se a relação educador-educando de que se procura extrair a sua especificidade e as componentes interaccionais, que vão permitir desenvolver na criança modos de relacionamento com os objectos e com as outras pessoas, bem como certas aprendizagens consideradas como condições organizativas das suas estruturas mentais.

É óbvio que, entre as disciplinas referidas (todas relevantes e indispensáveis para a compreensão e praticabilidade do fenómeno educativo), a pedagogia é aquela na qual mais se investe, ensaia e investiga.

Por isso, esta disciplina, que, etimologicamente, significa “acção de conduzir a criança”, é, simultaneamente, ciência, técnica e arte.

Enquanto ciência, define-se como um conjunto sistemático de conhecimentos relativos a um objecto concreto (o educando) adquiridos através de métodos rigorosos. Porém, a pedagogia é também uma técnica, ou seja, ciência aplicada. Na verdade, não basta ter conhecimentos abstractos para ser bom pedagogo, mas é necessário “praticar” ou provar esses princípios teóricos na acção educativa.

Mas a pedagogia é ainda uma arte. Com efeito, na educação é importante o senso comum, a intuição, o gosto, a imaginação, o jeito, a propensão e a vocação, que podem e devem ser aperfeiçoados pelo estudo e pela reflexão. No educador, o ideal é possuir competência e ter vocação. O educador vale pelo que sabe, mas também pelo “que é”.




Notícias relacionadas


Scroll Up