Fotografia:
O “cabo” dos trabalhos…

A Rua de Camões foi há mais de uma semana enfeitada com uma série de avisos, fitas, fitinhas, placas e plaquinhas. Através desses coloridos expedientes informava-se a malta dos popós de que a dita cuja ia ser alcatroada e, por isso, não era permitido lá estacionar o burrico.

N/D
26 Jul 2004

Perante tanto festão, os condutores passaram a colocar os seus automóveis noutros locais que não na Rua de Camões. Mas esperaram um dia, dois dias, três dias… e por aí adiante – e nicles!, do anunciado alcatrão nem cheiro!

Com a paciência esgotada, os automobilistas passaram a “fazer de conta” e recomeçaram a estacionar novamente naquela via, pelo que as fitas vermelhas que lá haviam sido colocadas foram, pouco a pouco, para o galheiro… E foi então que “quem de direito” resolveu colocar placas de proibição de estacionamento logo no início da rua, dando uma “folgazinha” aos moradores, para quem se abria uma excepção.

Sendo aquela via uma das mais movimentadas da cidade e, sobretudo, uma das zonas mais procuradas pelos condutores para “pousarem” os seus veículos, aquele “festival” de cores compreender-se-ia se o alcatroamento do piso fosse para ser feito num abrir e fechar de olhos.

Mas não: enfeitou-se a viela e as pessoas que esperassem sentadas à espera do início dos… trabalhos! Ou seja: a rua esteve (e continua…) “parada” durante vários dias, para estacionamento, quando parece que não era necessário!

Espera-se que os Senhores Mandantes resolvam tratar depressa deste assunto – caso contrário, há-de chegar-se ao Natal e a “festarola” continuará, sem necessidade nenhuma. E se assim for, então… boa vai ela!!!

Post Scriptum – Já agora, não seria melhor que os ferros que andam por aí a segurar “fitas” fossem substituídos por material menos “danoso” para os pópós e que até podem fazer perigar a vida dos condutores mais distraídos? Pensamos que sim…




Notícias relacionadas


Scroll Up