Fotografia:
Chover no molhado (39)

Num dos meus disseminados “devaneios”, afirmei aqui que a pessoa é quem constrói o seu “Eixo do Mal” e o torneia à sua maneira. Pois bem, um dos excelentes lubrificantes deste eixo, por nós torneado, é a atitude de rejeição e de humilhação que, sem ponderarmos, tomamos muitas vezes para com o outro. Daí estalam os conflitos, semeiam-se os ódios, dispara-se a violência, ateiam-se os ressentimentos.

N/D
17 Jul 2004

Feias representações! Más vivências! Amargas experiências!
E porquê tais atitudes? Perguntei ao pensamento e este levou-me consigo aos seus bebedouros.

Eu, sou, dizia-me o pensamento durante o percurso, a dinâmica intelectual do espírito que vive em mim. Eu sou inteligente, sou criativo, sou sistémico, intuitivo e crítico. Sou avaliativo, sou emocional e social. Conquista-me, compreende-me, bebendo nas minhas fontes e seduz-me, com a ternura do teu amor. E o sucesso saltará nas palmas das tuas mãos.

Então acompanha-me e dá-me a tua mão amiga e vigorosa. Contigo há mais segurança. Vem comigo, por aqui, pelo caminho agradável e florido da “sensação”.

Desçamos, agora, à arcaria da “emoção”. Entremos os dois no aposento íntimo e agradável do “sentimento”. Olha, o sentimento é um dos meus preferidos bebedouros. Entra nele e bebe.

Dobra-te, agora, sobre a tua dinâmica. Percepção. Desce pelas vertentes da tua Personalidade e acompanha a tua Experiência. Limpa o pó e as teias de aranha do teu Inconsciente. Senta-te à sombra amiga da tua Liberdade. Não fugas nem desdenhes de te relacionares com a realidade total. Avalia os quilates dos teus doirados Valores.

Vê onde se esconde a tua Intuição e não ofusque a estrela da tua Criatividade. Explora a tua Maneira de Ser. Tudo são bebedouros meus. Bebe aqui e sacia a sede do teu saber.

Agora, estou contigo. Persiste e colocar-te-ei o Mundo nas mãos.




Notícias relacionadas


Scroll Up