Fotografia:
794. Meu caro Zé:

Como diz Carlos Drumond de Andrade: E, agora, José? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou e, agora, José?

N/D
7 Jul 2004

E digo eu:

E, agora, meu velho?
O Euro acabou
a bola parou
a bandeira arriou
a buzina calou
o povo murchou
a alienação passou
e, agora, meu velho?

Voltamos, de novo, à nossa apatia, à nossa tristeza, ao nosso mau fado. Os nossos velhos problemas a doer, a corroer: a crise, a retoma, o apito dourado, a pedofilia, o desemprego, a exclusão… E a incerteza, sempre, após sacrifícios e mais sacrifícios, sem a luz que se veja ao fundo do túnel!

E a descrença nos homens que nos governam! Eles a agir sempre, primeiro, no seu interesse pessoal ou de grupo do que no interesse geral, no nosso interesse! Durão Barroso, o Zé Manel de Portugal, pensou em Bruxelas, em si, simplesmente!

Todavia, caro Zé, este foi um tempo bom de parar e esquecer! De refrigerar as nossa misérias, as nossas angústias, os nossos limites. A magia da bola! O milagre de dar alegrias ao povo!

Scolari devia ser Primeiro-ministro, pois é o único que nos dá alegrias! – grita-se.

Que nos dá alegrias! O povo anseia alegrias como as que tem com a bandeira nos telhados, na janela, na sacada, no automóvel, na mota, no rosto, no corpo! E o hino na voz! Esta coisa gostosa, simplérrima e linda de ter a bandeira em cada lar e o hino em cada boca!

Scolari devia ser Primeiro-ministro!

Vamos, então, a um governo desportivo: Scolari – Primeiro-ministro; Ricardo Carvalho – ministro do Trabalho; Figo – ministro das Finanças; Maniche – ministro dos Transportes; Ricardo – ministro da Defesa…

Alto! Mas o país não é um relvado, nem a vida uma bola! Este povo nunca mais ganha juízo e confunde tudo! Scolari não dá Primeiro-ministro!

Pois é. Mas isto de criar alegrias, de dar alegrias passa muito por nós! Não há políticos que façam milagres. Eles nunca fazem milagres! A não ser da utopia e da penúria!

Todavia, meu velho, quer queiras, quer não, isto pode ser um princípio, um bom princípio de podermos dar a volta, de voltarmos a crer nas nossas virtudes, nos nossos quereres!

Só temos de canalizar esta força, esta euforia, este Euro-2004 do nosso contentamento para o nosso dia-a-dia, no trabalho como no lazer! Este optimismo, esta auto-estima, esta ideia de que também somos capazes, que acreditamos, que conseguimos!

Scolari devia ser Primeiro-ministro, pois é o único que nos dá alegrias!

Político verga! Político sofre! Político daqui tem lição a tirar!

Venham daí esses ossos e até de hoje a oito!




Notícias relacionadas


Scroll Up