Fotografia:
Nótulas soltas da minha agenda

Irei votar mas terei imensas dificuldades em escolher, não acham? Apesar de tudo, irei votar! Não abdico deste direito. Vou exercer este dever cívico

N/D
7 Jun 2004

Eu vou votar!
Sim, no dia 13 irei votar. Se Deus quiser. Eu e a minha Família (os que têm direito a voto!). Irei votar em projecto político que me convença. Que respeite o que considero fundamental para o futuro de Portugal e da Europa. Por esta ordem. Não irei votar em função de conflituosidades. Nem de ataques ao Governo X ou Y. Já sei em quem, de certeza, não irei votar.

Priorizo, como condições essenciais à minha opção: o reconhecimento explícito da nossa identidade e memória colectiva, que não se envergonha do Mosteiro dos Jerónimos ou da Batalha e o assume como fazendo parte do nosso percurso e que face à Catedral de Chartres, ou à Sainte Chapelle fica maravilhado, entende o seu sentido e passe-o ao Futuro.

Que o Canto Gregoriano, as composições espirituais e religiosas de todos os tempos e dos quatro cantos da Europa, são seu património. Que as nossas Nossas Senhoras do Ò em pedra de Ançã policromada, a talha barroca de Tibães ou o S. Bruno da Cartuxa de Burgos são expressões da fé que fertilizou/fertiliza este velho continente…

– a salvaguarda dos direitos humanos, a começar pelo direito à vida, que se inicia na concepção e a que só a morte natural pode por termo…

– o apoio, promoção e defesa da família, baseada na relação livre e responsável, entre indivíduos de sexos diferentes e fundada pelo casamento, como compromisso público da vontade de caminhar junto, em equilíbrio homeostático…

– a defesa dos mais pobres e excluídos da sociedade, em que o Estado não aliene as suas responsabilidades de zelar pelo bem comum, no respeito pelo princípio da subsidariedade e na garantia de prestação de serviços de que não pode eximir-se…

– uma Europa que respeite as nossas idiossincrasias políticas, históricas, culturais, espirituais e não tenha a preocupação de homogeneizar tudo, diluindo, apagando ou destruindo as riquezas da diversidade…

– uma Europa que tenha a coragem de balizar as questões emergentes da Bioética e que respeite a dignidade de todo o ser humano…

… Assim, irei votar… Estou e continuarei atento aos debates e aos programas que os Partidos/Coligação nos apresentem. Procurarei estar atento, também, aos Candidatos “invisibilizados” e que podem, apesar de todo, ser eleitos. Não votarei em cabeças de lista. Votarei em listas.

Como se depreende, irei votar mas terei imensas dificuldades em escolher, não acham? Apesar de tudo, irei votar! Não abdico deste direito. Vou exercer este dever cívico.




Notícias relacionadas


Scroll Up