Fotografia:
Profissionalismo

Qualquer ser humano gosta de ser bem tratado, seja em que circunstâncias for, pois todos temos o direito de sermos acolhidos condignamente, sobretudo quando se está perante situações de saúde, em que a relação clínico/doente deve ser franca e cordial, para que o tratamento possa dar os frutos desejados.

N/D
24 Out 2003

Um bom profissional é aquele que prima em estar actualizado cientificamente, aplicando os seus conhecimentos, tentando, tudo por tudo, para que o sucesso seja a palavra de ordem e é também o que procura dar ao paciente o seu carinho, o seu afecto e ser, acima de tudo, um bom comunicador, dialogando, mostrando o seu empenhamento em solucionar o problema que aflige o doente.
Um bom relacionamento com o doente é um dos caminhos para a cura, pelo menos não tem mais esse sofrimento. Encontrar um médico, enfermeiro ou qualquer outro profissional de saúde despidos desses dons confortantes, onde existe uma fraca relação afectiva, sem aquele sorriso que nunca fez mal a ninguém, sem aquelas palavras de conforto e de carinho que tanto necessitam nesses momentos de sofrimento, é sempre muito prejudicial e não traz benefício algum para a cura da enfermidade.

Qualquer pessoa, seja qual for o seu nível social, não lucra nada em ser antipática, antes pelo contrário, em qualquer local que passe é sempre apontada como uma “persona non grata”. Pode, hipocritamente, devido a certas influências e em determinadas circunstâncias, haver uma certa simpatia, mas tudo não passa de uma simulação que tem “sol de pouca dura”, que se extingue logo que deixe de ser influente.

Felizmente, temos óptimos profissionais de saúde, na sua grande maioria dotados e verdadeiramente vocacionados para o tratamento de pessoas que os procuram quando deles necessitam, sendo eu próprio a testemunhar tudo isso, com um problema de saúde que, há tempos, tive.

Um descolamento de retina obrigou-me a um internamento urgente no Hospital de São João e com isto quero realçar o seguinte:

– Desde o Centro de Saúde de Vila Verde, Hospital de São Marcos e Hospital de São João, onde estive internado, só me resta estar reconhecido e muito satisfeito com o pessoal clínico que tive o prazer de encontrar durante toda essa caminhada de paciente. Não devemos ser pessimistas, porque temos no nosso país pessoal à altura de prestar os melhores cuidados médicos que, a todo o momento, precisamos. É evidente que toda a gente falha e em todas as profissões há os bons e maus profissionais, mas a percentagem dos que não cumprem é sempre em número muito reduzido;

– No Hospital de São João encontrei médicos simpáticos e competentes com um serviço de oftalmologia bem orientado em todos os aspectos, desde as urgências, consultas externas e internamentos;

– O Dr. Augusto Vítor, o meu médico, além da sua competência científica, tem outro grande valor que é o seu elevado humanismo, caracterizado na simpatia, no tratamento cuidado, na abertura, dando as respostas e informando o doente de tudo o que deve ser feito para o sucesso do tratamento. Continue, pois encontrei, em si, os principais valores de um bom clínico que deseja o melhor para os seus doentes;

– Os cuidados que todo aquele pessoal de enfermagem e auxiliar têm para com os doentes é de louvar. Sempre presenciei atitudes louváveis no tempo que estive internado no sector de oftalmologia do Hospital de São João;

– Obrigado por tudo e continuem a prestar esses cuidados para bem de todos aqueles que precisam de recorrer a esses serviços. Bem haja.




Notícias relacionadas


Scroll Up