Fotografia:
Algumas considerações sobre a cidade de Braga

Em artigo anterior, intitulado “Que política desportiva para a cidade de Braga?”, reflecti sobre alguns aspectos que, naquele momento, me preocupavam enquanto munícipe, e que considerei relevantes para o progresso da minha cidade. Foram eles, em síntese: campos da Camélias, campos da Rodovia, campo do Carandá, e todo o seu enquadramento funcional. Na altura perguntei: «mas afinal o que faz o vereador do Desporto da Câmara de Braga?»

N/D
5 Out 2003

Ora bem, acabo de ler o Diário do Minho e começo a ficar mais feliz: afinal, parece que o nosso vereador e a nossa Câmara até fazem alguma coisa. Leio por exemplo que o campo da Rodovia vai receber um piso sintético.
É uma óptima notícia por duas razões: em primeiro lugar porque concluo que, ao contrário do que eu suspeitava, aquele espaço vai mesmo continuar a ser público; em segundo lugar, porque se valoriza um espaço actualmente degradado e onde praticar desporto pode ser um perigo real.

Leio também por exemplo que o campo das Camélias vai receber também um piso sintético. É outra excelente notícia. Quem acompanha, como eu, a prática desportiva dos nossos jovens, só tem de congratular-se com decisões como esta, demonstrativas de que, afinal, se faz alguma coisa. A decisão da direcção do Sporting Clube de Braga no sentido de tentar estabelecer com o Parque de Exposições um protocolo para a sua utilização no Inverno é, no mesmo sentido, muito positiva, e demonstra um real interesse pelas camadas jovens. Aliás, por tudo o que tenho lido e pelas decisões tomadas neste domínio (patrocínios conseguidos, alteração da filosofia da formação dos jovens), penso que a direcção do clube está no bom caminho, e recebe todo o meu incentivo.

Expus, no artigo anterior, a situação do campo do Carandá, que se encontrava fechado, impossibilitando assim a prática desportiva dos jovens daquela zona. Congratulo-me com o facto de a minha chamada de atenção ter sido tida em consideração. Os jovens voltam a ter aquele espaço disponível, e são com certeza mais felizes.

Gostaria nesta oportunidade de tecer mais algumas considerações sobre alguns aspectos relativos à nossa cidade. O primeiro a relevar é, sem dúvida, o do novo estádio de futebol. Ponho de lado todas as discussões políticas e curvo-me em sentida vénia perante a imponência e a beleza de tal obra de arte. Não sei muito bem como ficará toda aquela zona, mas gostaria de ver aquela maravilha potenciada por um enquadramento natural, verde, sem construções aberrantes a seu lado. Obras de arte assim devem brilhar em verde-esperança.

Outro aspecto que gostaria de ver considerado tem a ver com o meu sentido estético, e refere-se às entradas da cidade. Acho pessoalmente horrorosa a entrada em Braga pela estrada de Guimarães. Gostaria de ver toda a zona do Parque da Ponte embelezada, uma entrada digna, e não aquela visão de lixo e de casas degradadas.

Também gostaria de ver na minha cidade uma sinalização de trânsito correcta e eficiente. Quem não conhece a cidade facilmente se perde por ausência de sinalização, e isso não me parece difícil de solucionar.

Gostaria, finalmente, de ver desenvolvido e concluído o projecto do arquitecto Souto Moura para a zona do Carandá e envolvente do Centro de Saúde. Incompleto como está, mal iluminado e deficientemente aproveitado, potencia atitudes menos positivas de alguns jovens que, de outra forma, serão evitadas.

Deixo uma palavra de incentivo a todos os responsáveis, e que sintam estas minhas observações como uma apreciação crítica de sentido positivo.




Notícias relacionadas


Scroll Up