Fotografia:
Senhor Presidente da Câmara Municipal de Braga:

1 No prédio que faz esquina com as ruas Dr. Justino Cruz e dos Capelistas o insólito acontece! Uns tubos fusiformes avançam da fachada, mais de um metro, sobre o passeio, sabe-se lá por obra e graça de quem, ou quê!

N/D
17 Set 2003

A coisa, para além de inestética e aberrante mesmo, tem ainda o demérito de, a quem por ali passa desprevenido, género dando a volta ao bilhar grande, ou no passeio dos tristes, brindar com pingas de água no toutiço!
E se a mim que até sou um tanto cabeludo o facto desagrada, o que não sofrerão os carecas! E o senhor Presidente que por ali, frequentemente, passa a caminho da Arcada, só por sorte, ou conhecimento de causa, é que não foi ainda incomodado!

Nestes tempos de canícula, até dirão os mais encalorados: – Mas que bênção dos céus! Aqui assim, à mão de semear, é só abrir o bico e deixar correr a seiva! Todavia, ninguém sabe que água é aquela e qual o seu grau de salubridade!

Cá por mim, senhor Presidente, cheira-me que aquilo é obra de aparelhos de ar condicionado, o que, em termos de arquitectura e urbanismo, é uma autêntica borrada!

Seja como for, a coisa não está bem e tem de haver uma forma, ecológica e higiénica, de dar outro rumo aos tubos e à água que eles vertem. Porque o da cabeça dos peões, francamente, nem ao diabo lembra! Porque doutro modo…

É lícito perguntar:

– É bom viver em Braga?

E lógico responder:

– Só p’ralguns! Só p’ralguns!

2. Na sequência da guerra aberta pela autarquia ao estacionamento desordenado e proibido na cidade, apareceu, há tempos, na rua Dr. Elísio de Moura uma brigada da pá e picareta que levantou uns pirilaus num determinado troço do passeio poente!

Vai daí, da tal operação resultou a remoção de parte dos cubos de basalto que foram abandonados, e já lá vai mais que o tempo de um período lunar, no passeio oposto, numa clara demonstração do deixa andar, do não te rales, do logo se vê, bem próprio do espírito tuga!

Ora, senhor Presidente, certos moradores da zona, face a tamanho monte de calhaus, já fazem apostas, relativamente, ao rumo a dar-lhes. Uns, mais belicistas e patrioteiros, teimam em que eram úteis numa guerra contra os espanhóis, tipo David e Golias; outros, mais dados aos prazeres pantagruélicos e da gula, garantem que aquilo só mesmo para uma suculenta sopa de pedra, a fornecer por Paulo Portas a um qualquer Regimento!

Todavia, antes que a coisa azede (ainda há dias, topei uns marginais à calhoada uns aos outros, com evidentes perigos para os passantes e carros estacionados), mande retirar aquela salgalhada do passeio. Porque doutro modo…

É lícito perguntar:

– É bom viver em Braga?

E lógico responder:

– Só p’alguns! Só p’ralguns!

Com os melhores cumprimentos e até de hoje a oito!




Notícias relacionadas


Scroll Up