Fotografia:
Tadim, aldeia em crescimento…

É a opinião que tenho da minha freguesia adoptiva. Sem que haja conservadorismo opinativo, vejo hoje que, após um período de transição em que a divisão territorial da freguesia reduziu drasticamente a população, os representantes da autarquia e o povo em geral reagiu positivamente, aceitando até a divisão com alguma naturalidade.

N/D
3 Set 2003

Esta aldeia outrora rural, se bem já com algumas empresas, evoluiu também, para acompanhar o desenvolvimento da região. Recordo que esta terra teve um clube de futebol na segunda divisão nacional e vultos conhecidos na política e na cultura, tendo no momento actual um crescimento contínuo, estruturado e progressivo.
As obras de duplicação da via férrea avançam a bom ritmo, os loteamentos, construção habitacional, existem e recomendam-se, o pavilhão desportivo e o PDM demonstram trabalho e interesse no progresso da terra.

Centro de Saúde, Casa do Povo com apoio a idosos e crianças, centro de dia em construção, são estruturas que demonstram a atitude, o estar na vida, dos representantes do povo e de muitos cidadãos anónimos que, diariamente, contribuem com o seu esforço para o desenvolvimento desta terra.

Porém, nem tudo são virtudes… Aliás, não é fácil aceitar a pacatez, o sossego, o verde dos campos e montes, dum período recente, com a transformação actual para urbanizar, criando um ambiente em que o cimento perdura e o verde escasseia. Desejável era que as árvores e espaços verdes “evoluíssem” no meio desta evolução; que os passeios para peões existissem em todas as vias públicas; que os autarcas se preocupassem sempre com os pormenores ou obras que interfiram no ambiente, no bem-estar da comunidade, urbanizando e estruturando num todo contextual duma aldeia em evolução consciente, virada para o futuro, mas respeitando o sossego e ambiente de paz e tranquilidade, tão agradável como salutar dum meio semi-rural. Motivar o cidadão para espaços verdes, árvores, jardins, locais acolhedores, que acompanhem uma transformação natural da terra, sem esquecer as suas gentes, as suas raízes, conservando a paz, segurança, ambiente social que, após a labuta diária, serve de bálsamo e repouso merecido.

A paz, segurança e o ambiente devem merecer e ser prioridade de todos os que aqui habitam, Hoje é agradável viver em Tadim – certamente, a autarquia saberá desenvolver projectos, obras e acções, tendentes a manter esta aldeia bem estruturada, independentemente do aumento de habitantes e da evolução do PDM (Plano Director Municipal).

A melhor política é aquela que serve o povo, responde aos seus anseios. O julgamento, esse é sempre feito à posteriori. Que esta aldeia seja o que os moradores desejam e que os responsáveis autárquicos trabalhem para o bem-estar geral, são os votos de todos os cidadãos.




Notícias relacionadas


Scroll Up