Fotografia:
Venham mais três milhões…

Perdoe-me desde já o caro leitor pela escolha do tema, mas entendo ser justo que o povo saiba a quantas andam as contas daquele que é, e passo a citar, “O sonho de Mesquita”. Bem sei que o tema Parque Norte e Estádio Municipal de Braga têm sido abordados por mais do que uma vez, mas parece-me oportuno, na semana em que vai ser colocado à apreciação e votação da Assembleia Municipal de Braga a contracção de mais um empréstimo para viabilizar este sonho extravagante do nosso Presidente.

N/D
10 Jun 2003

Posso desde já dizer que considero este facto mais do que uma simples extravagância, mas sim um verdadeiro insulto àqueles que pagam os “sonhos” dos outros.
O Estádio Municipal de Braga é inquestionavelmente uma obra de arte do ponto de vista arquitectónico, mas não podemos deixar de entender que não temos meios para construir verdadeiras obras de arte, lindíssimas, conceituadíssimas, elogiadas aquém e além fronteiras mas cuja utilidade se resume a uma só modalidade desportiva e de lazer: Futebol.

Por incrível que pareça, o novo estádio só dá para futebol e mais nada… serão qualquer coisa como vinte e tal milhões de contos de puro, genuíno, autenticamente bracarense… futebol, esse desporto mágico que move multidões! Desenganem-se aqueles que pensavam que os números apresentados se referiam ao Parque Norte na sua globalidade…nem pensar, por cá há rios de dinheiro e portanto tudo é grande…até os custos!

Tenho ouvido de tudo um pouco sobre este complexo desportivo e de lazer: uns dizem que vai ser a obra que colocará definitivamente Mesquita Machado na história da Cidade de Braga, outros dizem que vai ser um fracasso e que além do estádio nenhum outro projecto se vai concretizar.

Pois eu digo que esta obra vai ser uma realidade e que vai colocar o autarca de uma forma marcante na história da cidade, quanto mais não seja porque os meus bisnetos ainda estarão a pagar bem caro o sonho e a extravagância.

E desejo sinceramente que gostem de futebol, pois caso contrário não poderão usufruir desse mega investimento que os próprios terão feito enquanto meros contribuintes. Digo mais… acredito piamente que a zona em si ficará agradável com os campos de ténis, o pavilhão multiusos e o parque temático. Sugiro mesmo que para que o projecto seja perfeito se inclua um campo de golfe… até consigo vislumbrar os praticantes deste desporto a passearem de “smart” descapotável pelos imensos campos relvados, rodeados de árvores, pincelados aqui e ali com manchas de areia e lagos artificiais.

Esta poderia ser, potencialmente, a grande obra em termos de “espaços verdes” deste executivo. Para completar a “moldura” deveria ser aí erguida a prometida estátua daquele que foi o homem que sonhou para que a obra nascesse… o próprio Presidente da Câmara Municipal de Braga.

Não pense o digníssimo leitor que sou contra a realização de uma obra desta natureza no nosso concelho, pelo contrário, acho que é importante e pode elevar bastante o nível da qualidade de vida em Braga.

Entendo é que as coisas devem ter “peso, conta e medida” e as pessoas, sobretudo quando gerem dinheiros públicos, devem ter os pés bem assentes na terra e adaptar os projectos aos meios de que dispõe.

O facto é que Braga não pode gastar vinte e tal milhões de contos num estádio que só dá para futebol. É incompreensível como estão a ser construídos estádios novos por esse país fora que dispõem de uma série de estruturas que multiplicam a sua utilidade e ficam manifestamente mais baratos, enquanto que o nosso é “unifuncional” e custa “os olhos da cara”.

Se o executivo quisesse poderia ter feito desta a sua obra, o erro foi querer fazer uma obra à sua imagem…




Notícias relacionadas


Scroll Up